infanto-juvenil

{ Resenha #185} Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole | @maetoescrevendo

12:00


Titulo: Mil Beijos de Garoto 
Autora: Tillie Cole 
Editora: Planeta 
Página: 400
Compre na Amazon : Clique aqui 
Sinopse: Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.


------------------------------------------------------------------------------

Rune era apenas um menino de 5 anos , saído de seu país de origem , a Noruega, quando virou vizinho e melhor amigo de Poppy. 
Rune era um menino mais fechado , tinha cabelos longos e um amor muito grande pela fotografia. Poppy, era doce, musicista e espiritualmente ligada a tudo, sempre muito positiva e extremamente feliz. 

Logo no início da narrativa, vamos conhecer os dois protagonistas dessa história, como descrito acima, duas pessoas relativamente diferentes. Mas que se tornaram inseparáveis desde a infância. 

O ápice do enredo se dá com o fato de que a Avó de Poppy e sua melhor amiga, lhe deixa um pote do qual ela deve preencher com mil beijos. Neste pote estão mil corações, e nele a menina deve descrever os mil beijos que tocaram seu coração, o momento e com quem ele foi. Ao saber disso, Rune aos 8 anos promete a ela que juntos irão encher todo o pote e que nenhum dos beijos dela, será com outro que não ele. E desde o primeiro beijo, passam a nutrir um jovem/precoce romance. 

Tudo estava bom demais, até que a família de Rune precisa voltar para Noruega e ele como menor precisa ir junto. No entanto, eles prometem manter contato. O que é rompido por Poppy algum tempo depois. 

A história em si, vai andar mais rapidamente após dois anos da ida de Rune para Noruega, onde ele se torna um rapaz, completamente diferente do que era antes. Ficou digamos mais sombrio, menos comunicativo e um tanto " babaca". Dois anos se passam sem que ele saiba muita coisa de Poppy, que também havia se mudado e ninguém próximo sabia o real motivo. Na volta dos dois para a cidade em que tudo começou. Eles notam que já não se conhecem tanto como antes e que realmente há muito o que se aprender um com o outro. 

Bem , a história tinha tudo para dar muito certo. Mas a meu ver , foi muito mais do mesmo. A ideia do casal que se apaixona jovem e que tem uma linda história de amor para ser contada, o pote dos beijos , tudo isso poderia ter sido uma ótima combinação. Não fossem as inúmeras passagem do livro que me fizeram lembrar e talvez até rever determinadas cenas de outros livros. Cheguei a pensar diversas vezes que o livro era um compilado de vários outros. E isso, confesso, foi o que mais me desestimulou durante a leitura. 

Sobre os personagens, não me apaguei muito a eles, não me cativaram completamente. Ele fechado demais e ela feliz demais. Sei que é uma ficção, mas acredito que fugiu muito do real, ninguém é 100% o tempo todo. 

Agora , coisas boas que senti durante a leitura. O casal tinha entre eles uma história muito boa, e eu amo romances. Ver um romance que começou com amizade e muito cedo , tomar todas aquelas proporções foi por vezes emocionante e o livro realmente tem esse tom bem dramático em determinados momentos , para que quem o está lendo, sinta uma conexão e se emocione junto. Dessa parte, posso dizer que a autora está de parabéns. 

Bem, sei que muitas pessoas amaram. Realmente é um livro que dá para se apaixonar. Infelizmente não foi o que ocorreu comigo, talvez por eu já ter lido muitos outros (quase idênticos) e visto muitos filmes também. Mas foi uma leitura super válida. Dei três estrelas e meia. 

Beijos e aguardem mais opiniões por aqui 😘😘😘

chick-lit

{Resenha #184} Melancia - Marian Keyes | @gabrielaofredi

10:00

Título: Melancia
Autor(a): Marian Keys  | Editora: Bertrand
Ano: 2003 | Nº de páginas: 490

Sinopse: Foi demais da conta para Claire o dia do nascimento da sua filha. Ao acordar no quarto do hospital depara com o marido olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita de que ele soltará a notícia da sua iminente separação: “Ouça, Claire, lamento muito, mas encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito...” Em seguida, dá meia-volta e deixa rapidamente o quarto. De fato, ele sai quase correndo.

Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal!

Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece, para convence-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra mulher. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa...
(Sinopse retirada do Skoob)

Preciso confessar que até a metade do livro minha vontade era de desistir da leitura. Eu achava que a história estava chatíssima, que a protagonista era dramática demais, repetitiva demais e também a achava muito irresponsável.
Me dava muita raiva ver a Claire reclamar de tudo o que tinha acontecido, ficar se perguntando o motivo de ter acontecido, ficava se lamentando por um milhão de coisas, quando na verdade, na minha opinião, ela deveria estar explodindo de raiva e revoltada com o James por ele ser tão canalha.
Então, depois de mais algum tempo assim e até se embebedando por causa de tanta tristeza, Claire começa se sentir humilhada e aí surge a raiva, e ela passa a ser considerada o monstrinho da família, nem os pais aguentam aquele comportamento dela. E, de uma hora pra outra, ela percebe que as coisas não podem ser assim, que ela tem que ser melhor pela filha que não merece uma mãe naquelas condições e, então tudo começa a voltar ao normal.
Foi nessa parte que eu percebi que assim como na vida real, as coisas que aconteceram com a protagonista exigiam que passassem por certas fases, como se fosse uma espécie de luto e que, talvez, se ela não passasse por isso tudo não conseguiria terminar do modo que terminou.

Enfim...

Quando ela decide que precisa melhorar, eis que surge o Adam, um amigo de faculdade de
uma de suas irmãs mais novas. Lindo, atraente, cheiroso, charmoso, logo chamou a atenção de todas as mulheres da família. Sim, TODAS! Mas, é claro que a nossa queridinha tentou não deixar transparecer nada porque pensou que o bonitão fosse algo como um namorado da irmã.
Com o tempo Claire melhora cada vez mais e mesmo que as dúvidas sobre o que aconteceu continuassem voltando a sua mente de vez em quando, ela seguia feliz e satisfeita por sua capacidade de recuperação, porém nem tudo na vida são flores. Quando ela pensa que tudo já se resolveu, uma vez que tinha conseguido voltar ao seu estado normal e ainda fisgar o coração de Adam, surge o safado do ex-marido pedindo para voltar.

Dá pra acreditar?


Melancia, com certeza, é uma história de superação e de amor, principalmente de amor próprio. O livro mostra o que amor por um filho pode fazer por uma mãe, mostra o quanto o ser humano pode ir fundo no poço, mas que mesmo assim se tiver força de vontade e coragem, pode subir a parede toda e sair do poço com mais uma vitória a ser contada, essa pessoa consegue. Também fala como o apoio da família nos momentos mais difíceis é importantíssimo e que desistir não é o caminho. No começo achei a Claire uma banana, mas depois que entendi o que estava acontecendo com ela percebi que se fosse alguma outra pessoa, uma pessoa fraca, poderia até ter se matado.
Não preciso nem falar que amei o final e que não vou falar o que acontece, porque não quero ser estraga prazeres.

Espero muito que gostem da história e caso já tenham lido, me deixe saber suas opiniões aqui nos comentários!! 

Ass.: Gabriela Ofredi