10.6.15

[Papo de Mãe #1] - Namorados



Olá pessoal, tudo bem ?
você devem estar se perguntando o que será esse post, mas antes de começar eu vou explicar direitinho. Já faz um tempo que eu quero compartilhar uns textos aleatórios sobre a vida com vocês e já que o blog se chama Mãe, tô escrevendo eu criei a nova coluna intitulada Papo de Mãe. Logo logo o blog passará por uma pequena reforma e vocês terão uma aba bem legal só para os textos desta coluna. Os posts serão feitos duas ou três vezes por mês aos finais de semana. A coluna é basicamente isso, uma conversa descontraída com vocês, espero que gostem! 




Para dar inicio a está nossa conversa eu escolhi o tema NAMORADOS, nada mais justo para começar já que estamos no mês dos namorados e na semana do dia dos namorados. Bem redundante, mas acho que vocês vão conseguir captar o que quero por em questão aqui com vocês, então simbora.

Eu fui criada de uma maneira muito estranha. Porque ? Pelo simples fato de que eu sempre tive liberdade, mas sempre fui muito presa. Ficou confuso eu sei, mas explicarei. Desde meus 9 anos eu já era praticamente adulta, ia para escola sozinha, fazia natação, aula de reforço e geralmente eu mesma já administrava as mensalidades. Neste quesito meus pais sempre me deixaram bem solta. Quando fui crescendo e ficando adolescente, chegou aqui no Rio de Janeiro, mas precisamente no Bairro de Campo Grande na Zona Oeste as famosas matinês, e eu sempre achei que meus pais iriam me vetar, mas estava completamente enganada e aos 11 anos eu já ia para baladas. 


Considero baladas, porque tinha tudo igual a uma balada como toda outra, menos claro bebida alcoólica por causa dos menores de idade e também da fiscalização. A outra grande diferença era o horário de inicio e fim, pois as matinês sempre terminavam as meia noite em ponto ou até antes, mas começavam bem cedo, por volta das quatro horas. Enfim, onde quero chegar com isso tudo? Eu tinha liberdade para cuidar do dinheiro que a mim era designado para pagar algo, saia para "baladas", mas só podia namorar ou pensar em namorar quando terminasse os estudos. 



Confesso que em um primeiro momento eu achei muito bom isso, porque eu não tinha a menor intenção de namorar nem apresentar ninguém aos meus pais, contudo com 11 anos eu era uma adolescente normal, com 12 já nem tanto. Com exatamente 12 anos eu coloquei meu primeiro pirceng (um transversal) e foi neste mesmo ano que minha fase de aborrecente começou. Fiquei completamente fora de controle, tive o cabelo de todas as cores possíveis que alguém poderia imaginar, só andava de preto, ia para balada todo final de semana, mas no fundo eu ainda era muito nerd e era com isso que meus pais se preocupavam, então se eu queria andar toda de preto no calor, com o cabelo todo estranho e com o prego na orelha ( como minha mãe dizia) isso não importava, o que eles queriam era nota boa no meu boletim e nenhum namorado. 



Percebi que o único jeito de afetar eles era tendo um namorado e aos 15 anos arrumei um, eu nem sei explicar exatamente o que eu sentia pelo menino, sei que eu achava divertido estar com ele e afrontar meus pais, contudo, todavia , no entanto, eu não me importava tanto assim com o status Namorando. No final das contas meu pai fez um barraco ( EM PÚBLICO ) e terminou o meu namoro. O menino era 4 anos mais velho do que eu, e isso não me agradava nem um pouco. Deixei essa coisa de namorado para lá e fui me divertir. 


Realmente percebi que meus pais não tinham problemas com ficantes, pelo contrário eles ficavam até amigos, mas no fundo eu sabia que eles torciam para aquilo nunca vingar e sempre ser só uma amizade colorida e adivinhem ? Sim, isso sempre acontecia. Nada ia para frente. Eis que aos 18 anos agora com o Ensino Médio concluído eu começo a namorar e dessa vez foi razoavelmente mais fácil, porém tinha um único e ao mesmo tempo grande problema. Meus pais odiavam o menino. Por vários fatores, primeiro ele era anti-social ao extremo, segundo ele era 2 anos mais novo, terceiro a mãe dele era uma sogra estranha, quarto ele nunca podia nada sem a mãe deixar, quinto ele tinha uma religião diferente e minha mãe era fanática pela região dela e a mãe dele fanática por outra religião, sexto a mãe dele "supostamente" gostava de mim, sétimo ele morava em área de risco. Enfim, tinha tudo para dar errado.  


O difícil do relacionamento é que o mundo não nos queria juntos, mas nós gostávamos um do outro e isso nos fez ficar juntos por quase 2 anos, terminou porque estávamos em momentos diferentes e porque tinha que ser, para felicidade geral da nação kkkkkk. Mas pensem em brigas constantes, Deus realmente esteve presente ali muitas vezes porque meus pais não gostavam do menino nem pintado de ouro e os pais dele também não iam muito com minha cara. Afinal eu tinha cabelo roxo, pirceng nas duas orelhas, alargador, pirceng no nariz e uma vontade louca de ter uma tatuagem. A sogra pirava, dizia que eu ia desvirtuar o filho querido dela, aff. 


Dizem que há coisas que vem para o bem e o termino desse namoro que todos torciam contra foi um desses, alguns meses depois quebrei todos os paradigmas que eu poderia ter. Quando nova eu sempre tive amigos de todos os jeitos, raças, credos, posturas etc. Mas uma coisa eu tinha certeza, não queria namorar um menino negro ( Eu sinceramente não me considerava racista, mas esse tipo de exclusão deixava bem evidente a verdade, o que hoje para mim é bem ridículo, afinal minha mãe é negra e meus melhores amigos sempre foram negro. Acho que eu nunca percebi que no fundo eu sempre quis ser negra também), isso era lei na minha vida e assim foi até 14-07-2013, quando eu conheci uma pessoa maravilhosa e que mudou muita coisa na minha vida. Confesso que divergimos demais e talvez o para sempre que pensamos não seja eterno. Porém que fará total diferença em nossas vidas isso eu tenho certeza.



Pensem no meu pai ouvindo que eu queria apresentar uma pessoa a ele, gente o homem virou no samurai, disse poucas e boas e eu fingindo ouvir, afinal qual era o problema ? Eu já estava formada, no 4º período da faculdade de matemática e no 1º período da faculdade de administração e o homem queria me impedir de namorar porque ? Porquê é meu pai , só por isso kkkk. Jesus, como foi difícil. Cheguei em casa com o Felipe, e eis que tive a melhor sensação da minha vida naquele momento, quando meus pais o conheceram parece que foi amor a primeira vista. Até a Sininho jogou pó mágico de felicidade. 




Foi super estranho me convencer de que meus pais haviam gostado de alguém, que minha mãe principalmente havia gostado do genro e que eu estava com uma pessoa completamente diferente de tudo que eu imaginei o tempo todo ( LEVEI MUITO TAPA NA CARA DA VIDA, QUANDO ELA ME PROVOU QUE O QUE EU QUERIA ERA COMPLETAMENTE DIFERENTE DO QUE EU PRECISO. ). Para finalizar hoje a paz reina nesta casa e eu só tenho um namorado porque terminei os estudos kkkk'  ( Quero deixar bem claro aqui que tudo o que eu pensava que gostava, foi jogado no lixo e minha vida mudou para melhor 1 mês antes de conhecer a pessoa que hoje me faz sorrir sem motivo. )


Acho que meus pais já foram sogros bem ruins, mas agora estão felizes e espero que eu e o Fê fiquemos felizes para sempre, porque amansar as feras de novo vai ser complicado kkkkk' E vocês ai ? Meninos e meninas ? Como foi essa coisa de ter namorado, sempre deu certo ou foi um caos total como os meus? ( DIGO CAOS ME REFERINDO AO RELACIONAMENTO ENTRE MINHA FAMÍLIA E MEUS DOIS EX NAMORADOS, EXCLUINDO O MEU RELACIONAMENTO COM ELES. ) Deixem ai nos comentários a opinião de vocês, vou adorar saber. 

Obs: Estou desacostumada a expor textos sobre minha vida ou coisas que já vivi, mas espero que tenha ficado bom

Beijos da Lêeh 

- Mandem ideias de post e assuntos que querem saber aqui no blog, eu leio tudo com muito carinho e com certeza se a ideia estiver ao meu alcance , virará post. 

                                             Instagram  | Fan Page | Skoob Twitter | YouTube



4 comentários:

  1. Olha pode ACREDITAR porque de FATO eu li todo o seu texto por conta do tema NAMORADO, principalmente por conta do dia de hoje que está me deixando bastante triste, pois namorei praticamente quase 9 anos, mas a gente anda num pé de guerra. Ele já não me vê mais como antigamente e já chorei e passei muito nervoso por causa dele e por conta disso acho que aquela MAGIA toda que eu tinha por causa dele acabou, embora eu não queria que terminasse, ainda tenho até esperança que ele se arrependa e mude, mas eu quero agora pensar mais em mim sabe? Mas olha lendo o seu texto eu percebi como o mundo dá voltas né? Tipo, você aos 11 anos já saia e tudo mais, meus pais nem isso deixava. E você pintou cabelo de todas as cores? Usou piercing? O.o Karamba, eu não teria coragem sério! hahahahaha...Mas o que me deixou praticamente de boca aberta foi quando tu falou que seu pai fez escandalo perto do menino que namorava vc. Cara que mico =x Eu ia enfiar a minha cabeça no chão. Mas graças a Deus, apesar dos meus pais serem bastante super protetores, eles sempre quiseram o meu bem e querem que eu arrume uma pessoa que cuide de mim futuramente quando eles não estiverem mais aqui sabe? Queria que fosse esse meu atual que nem sei mais se é meu namorado. Mas acho que Deus sabe o que faz. Tudo acontece por causa de um motivo e temos que esperar pra ver o que acontece. Não sou doida desesperada para correr atrás de homem não, até porque já namorei vários. O ultimo que namorei foi 4 anos e era do RJ rs. E esse quase 9. Não sei como ficamos tanto tempo juntos. Ele era tudo que eu queria na vida. Fazia de tudo pra mim. Era carinhoso ao extremo. Cuidava de mim como ninguém sabe? Imagina o cara perfeito? Pois é...pra mim ele era assim até esse ano que parece que fizeram uma lavagem na cabeça dele. Mais não sei, minha mÃe sempre fala que se não for ele vai aparecer um melhor na minha vida ainda que me fará feliz, mas tem coisa que machuca. Porque é tantos anos e parece que jogamos toda a nossa vida fora. =/ Eu fui a primeira namorada dele. Mas eu não. Para ele tudo vai se resolver. Tudo vai dar certo e é só voltar a se ver de novo, mas uma pessoa que nem se mexe como isso vai acontecer?!!! O.o estranho!

    Mas enfim...estou meia que conformada, mas mesmo assim se eu pegasse ele já namorando outra ou soubesse eu ficaria muito mal. Porque ele poderia ter sido sincero comigo e terminado numa boa e a amizade continuava normal. Mas seilá,...

    Ai menina vou parar de falar se não você vai se cansar, mas eu gostei de tudo que você escreveu. Deu para perceber que você de alguma maneira sofreu bastante por conta dos seus pais. Mas de uma certa forma fizeram isso para o seu bem e também porque eles queriam que você tivesse um futuro. E quanto ao seu pai quando tu arrumou namorado aos 18 anos e mesmo assim ele acabou embaçando, eu acho que é por conta de ciúmes de pai, porque meu pai tbm é assim e ele tem um super cuidado comigo. Mas felizmente olha ai como tu tá hoje. Fiquei pensando nisso. Passamos por tanta coisa, mas no final sempre vai vim uma luz na vida da gente. Pelo menos pensarei assim depois de ler seu lindo texto.

    E quer saber? Eu acho que você deveria falar de assuntos assim nessa sua coluna
    Como você falou de namoro. Mas de outros assuntos que você já viveu na sua juventude e nos aconselhando que é bem bacana. Até porque você é mãe e tudo que mãe fala é LEI ! hehehehe

    AMEI SUA COLUNA SÉRIO.
    CONTINUE COM ELA QUE DOU O MAIOR APOIO

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-cova-312_11.html

    ResponderExcluir
  2. Aqui em casa, as coisas foram bem diferentes kkkk Nunca tive liberdade, tenho 17 anos e minha mãe me leva pro colégio até hoje, então imagina se meus pais querem que eu namore?? Nuncaaa!! Acho que meu pai teria feito o mesmo que o seu fez com o menino, de armar escândalo e desmanchar tudo. Entendo os motivos, de que é melhor terminar a faculdade primeiro e tal, mas quando a gente recebe proibições, a gente fica tentando quebrar... faz parte da adolescência. Achei muito legal você criar essa série contando sobre a sua vida. Também sou carioca, assim como você :3 Um beijo!

    http://www.thaisnacidade.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tudo bem?

    Eu amei essa coluna! Nossa, ficou muito legal! *O*

    Bem... vamos lá. Minha mãe sempre disse que eu só namoraria com 18 anos. (Meu pai nunca prestou pra nada mesmo, mas, concordava com ela).

    Quando era mais nova, ficava meio revoltada com isso mas, okay. Os meus 18 anos chegaram e foram embora, junto com os 19. Chegou os 20 anos. E agora eu estou super de boa.

    Nunca namorei, mas estou em paz com isso. Foquei minha vida em muitas coisas e acabei ficando sem espaço na mente para um amor.

    Não que eu não queira namorar. Eu quero, mas, não estou no desespero. Sei que na hora certa vai aparecer a pessoa que eu estava esperando.

    Agora a minha mãe fica no desespero para que eu namore! Hahaha

    Beijos e fico aguardando o próximo texto! <3

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  4. Na minha casa as coisas ocorreram tranquilamente, nunca fui muito liberada e mesmo agora com 18 anos ainda sou bem pressa digamos, meus pais não são liberais em relação a alguns assuntos mas outros eles são mais tranquilos, como piercings (tenho ao total 4 furos em uma orelha e 5 na outra e uma tatuagem que foi presente deles) e a única regra para namorar era depois dos 15 anos o que eu cumpri, apresentei meu namorado 1 semanas após fazer 15 anos para os dois. Nunca namorei outro rapaz ou fiquei, ele foi meu primeiro beijo e é o meu primeiro namorado. <3

    Beijos e até logo Le! ^^
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir