21 de outubro de 2013

[Resenha #13] Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson

Sinopse
Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse Anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos. 




Título: Garotas de Vidro
Autora: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 272
Avaliação: 5/5

Garotas Geladas ou Garotas de vidro, foi para mim uma experiencia que jamais irei  esquecer, pareço exagerada, mas o livro me trouxe a um mundo que eu nunca havia percebido ou imaginado. Primeiramente a diagramação é simples e a capa está realmente muito linda é um livro curto com poucas páginas e que me deu bastante trabalho para ler. Por  tratar de um assunto muito serio, Distúrbios Alimentares, porém hoje em dia é muito mais fácil conseguir relatar o assunto de uma forma clara e que faça as pessoas entenderem a gravidade desse tipo de doença, contudo garanto a vocês que estar ali observando o que se passa com uma pessoa anorexia ou bulímica é muito mais fácil do que estar na mente dela, esse foi o grande ponto chave do livro. A autora passa através da estória, a vida e a "luta" de uma adolescente que acaba de perder a melhor amiga Cassie, essa adolescente se chama Lia, é um doce de pessoa e faz de tudo para ficar magra, tudo mesmo, até passar fome ou se auto mutilar ( Realizar pequenos cortes na pele ou forçar algum tipo de dor através de ferimentos no corpo). A estória é narrada por Lia, no seu dia a dia e em suas ideias e pensamentos rotineiros, é justamente ai que o livro ganha uma proporção incontrolável, você consegue entrar na cabeça da pessoa portadora da doença e para mim é até possível se convencer de que aquela paranoia fosse necessária. 



Eu subdividi o livro em 3 partes, no inicio eu li até a página 100 e achei a estória muito forte e ela me causava um mal estar que infelizmente não consigo explicar, talvez pelo fato de ser narrado pela própria protagonista e parecer tão real. Depois de uma semana mais ou menos eu voltei a ler o livro e li até a página 190, da página 100 à diante o livro ganha uma estrutura mais firme e você passa a entender melhor o porque de tudo e como ela adquiriu o distúrbio. Por fim eu tirei uma noite para terminar a leitura, não me fez bem ler o final a noite porque a Lia tem visões por conta da fome que sente e uma desses visões constantes é da amiga Cassie é algo um pouco perturbador uma conversa aparentemente real entre alguém vivo e alguém morto. Da metade em diante do livro a narrativa fica mais pesada e o livro fica cada vez mais intrigante e interessante. Para mim o final foi espetacular e depois que terminei eu indicaria a todos , com 5 estrelas bem dadas,claro lembrando que não é uma leitura fácil e precisa ter uma boa cabeça para saber que mesmo que um livro seja algo fictício o assunto tratado é um problema real e que causa morte, e por mais difícil que pareça a maioria das mortes não são causadas por desnutrição. As causas geralmente são a falta de água no corpo, sangue ralo , anemia etc. A anorexia não mata por fome, mata aos poucos e por várias outras doenças associadas a ausência de nutrientes necessários para a sobrevivência. 

Alguns pontos do livro me marcaram bastante e vou deixar uma frases aqui para vocês, sem spoiler, é claro :)

"  Os psicólogos enfiavam o braço em seu saco de truques e arrancavam de lá comprimidos novos, meus docinhos malucos, azul bebê e cinza-hora-da-soneca. " ( Pág 137)

Achei uma jogada de mestre da autora colocar frases distorcidas no texto, como assim distorcidas? Para mim a Lia é uma adolescente fofa e cheia de coisas comuns as meninas da idade dela, porém ela sempre trata coisas "ruim" com bom humor e as transforma em palavras bonitinhos como em vez de dizer que remédios para dormir ela colocar "cinza-hora-da-soneca". 

" Estou com fome preciso comer.
Odeio comer.
Preciso comer.
Odeio comer. " ( Pág 142 )

Outra coisa muito legal é que toda vez que a Lia pensa algo que ela quer fazer a frase vem cortada e logo em seguida aparece a frase seguinte dela distorcendo suas próprias vontades. 

" Meu estômago de rato cor-de-rosa gosta de ser pequeno e vazio." ( Pág 154 ) 

Espero que tenham gostado da resenha, infelizmente eu realmente não consigo relatar mais nada sem deixar algo importante se transparecer . 

Beijinhos da Lêeh 








Um comentário:

  1. Eu sempre tive muita vontade de ler esse livro, mas quando finalmente encontrei um pra comprar eu não tive coragem :/ Amei a resenha, Lêeh. Meus parabéns!

    http://infindoliterato.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir