5.4.17

{ Texto } Três metros acima do céu / @maetoescrevendo


Pois é, quando pensamos que sabemos tudo e que tudo está perfeito é quando a vida nos prega uma peça e nos dá uma rasteira. 


As vezes, mas só as vezes , quando tudo está bem nos esquecemos do nosso redor e vivemos quase que dentro de uma bolha. Onde o nosso mundo é perfeito e nada pode nos atingir. 

Esquemos de preservar nossa saúde, nossa mente , nossa vida social. Somos capazes de abandonar tudo para viver somente de um olhar. Mas não um olhar qualquer, um olhar do qual chegamos a conclusão de que não podemos viver sem. Em consequência tornamos um dependente do olhar do outro. E passamos a viver um a vida do outro, enquanto nossas vidas passam por nós sem que percebamos. 

Contudo, nada pode ser tão inebriante para sempre, a hora de fechar os olhos e abri-los novamente sempre chega e junto vem o desespero. O desespero de não ter um rumo; o desespero de não saber de onde começar; o desespero da saudade; o desespero de se reencontrar, para novamente se reconectar com o outro; o desespero de querer acertar e não mais manter os olhos fixos no outros. Mas manter o coração no outro e os olhos em seu próprio eu.

Se a vida lhe der uma chance para que volte a olhar , mas com o coração. Aproveite , pois não será sempre que ela deixará você viver constantemente a três metros acima do céu. 

Hoje ela nos separou, para que possamos aprender a olhar com o coração e observar aos outros de uma forma mais clara. Somos somente um, mas para a vida ainda representamos dois. 

Beijos da Leeh 😗😘

Um comentário: