9.6.16

[ Mãe,Vamos ler poesia? #1] Toda poesia do Augusto dos Anjos - Augusto dos Anjos

Título: Toda poesia de Augusto dos Anjos | Autor: Augusto dos Anjos | Editora: José Olympio | Páginas: 320 | Avaliação: 5/5 | Adicione a sua estante: Skoob 



Antes de mais nada este livro é de um poeta nacional e então os textos não foram traduzidos, trazendo para o leitor a real forma de escrita do autor sem mudar uma vírgula, o que só torna a leitura ainda mais prazerosa e gratificante.

Não sou especialista em poesias , sonetos e outros, mas sou uma grande admiradora destas obras. Confesso no entanto, que são poucos os livros que já li sobre , mas os autores, por vezes me ganharam com sua forma delicada de escrita o que faz de Augusto dos Anjos um autor um quanto diferente neste aspecto.

Nesta coletânea , somos agraciados com 80 páginas de um mega ensaio de Ferreira Gulart sobre a poesia, a escrita, a vida de Augusto e logo em seguida somos apresentados ao livro Eu, que foi o único livro público pelo autor ainda em vida e que reúne obras que ele mesmo escolheu para a composição. Além disso, após o término do livro Eu, encontramos ainda mais sonetos, poesias e textos ainda inacabados do autor que fora reunido neste livro que está simplesmente esplêndido, tanto no trabalho estético como editorial.

Dos Anjos, tinha em seus textos uma peculiaridade muito grande e era exatamente isso que o fazia diferente de outros poetas Brasileiros ou não, mesmo que estes tenham por ventura influenciado o autor de alguma forma. Muito inteligente, ele buscou empregar seus conhecimentos em suas poesias, seus sonetos e outros textos. Trazendo sempre para o leitor algo gótico e mais sombrio.

Na sua adolescência que foi quando deu início aos seus escritos ou autor sofreu inúmeras perdas de entes queridos e isto fez com que parte de sua inspiração, fosse sobre a morte, velórios, funerais e sempre mesmo que de forma poético levado a uma forte ânsia de melancolia , tristeza, luto.

Em contraponto a seus texto fúnebres , Augusto passou a utilizar termos científicos, matemáticos e específicos de algumas profissões para expressar seus sentimentos e compôr suas poesias. Contudo, isto não minimiza a forte áurea da morte, que está quase sempre presente nos versos.Algo bastante peculiar na escrita do autor é detalhar cenas, como uma rua, uma praça, a noite, os vermes que comem a carne do homem e muitos outros.

Eu particularmente gostei bastante da escrita do autor, mesmo que em certos momentos tivesse dificuldades em compreender determinada palavra. Procurei ler o livro com calma para absorver ao máximo o jeito da escrita e a evolução ao passar dos anos até sua morte.

O texto complementar de Ferreira Gulart foi de olhos fechados o melhor texto crítico que já li em um obra. É bem detalhado, fala sobre a passagem de tempo em que o autor sofreu na sua escrita, sobre a influência do parnasianismo e de outros, conta sobre autores que inspiraram Augusto a começar a escrever e qual foi a importância deles para transformar Dos Anjos em único. Além de informações pessoais que trazem para o leitor, uma melhor compreensão do porquê o autor escrevia daquela forma e também o porquê da poesia dele não ser romântica como muitas outras.

Ao longo da resenha, vocês puderam ver algumas partes de poemas presentes no livro Eu. Abaixo deixarei o poema do qual mais gostei. Que por algum motivo, tem traços matemáticos. Porquê será que eu gostei tanto em ? 

Versos a um coveiro 

Numerar sepulturas e carneiros, 
Reduzir carnes podres a algarismos, 
Tal é, sem complicados silogismos, 
A aritmética hedionda dos coveiros!

Um, dois, três, quatro, cinco ... Esoterismos
Da Morte! E eu vejo, em fúlgidos letreiros, 
Na progressão dos números inteiros
A gênese de todos os abismos!

Oh! Pitágoras da última aritmética, 
Continua a contar na paz ascética
Dos tábidos carneiros sepulcrais

Tíbias, cérebros, crânios, rádios e úmeros,
Porque, infinita como os próprios números, 
A tua conta não acaba mais!



Dados: Livro cedido para resenha em parceria com o grupo Editorial Record. Apresenta capa brochura com orelhas, folhas amareladas , diagramação com letras grandes o que facilita a leitura, um poema por página. 

Beijos da Lêeh 


- Mandem ideias de post e assuntos que querem saber aqui no blog, eu leio tudo com muito carinho e com certeza se a ideia estiver ao meu alcance , virará post.  

                               Instagram  | Fan Page | Skoob Twitter | YouTube



Nenhum comentário:

Postar um comentário