26 de janeiro de 2015

[ Resenha #95] Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins


Titulo: Anna e o Beijo Francês
Autora: Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Avaliação: 5/5
Sinopse:
Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada.Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas.
---------------------------------- ♥ ----------------------------------
Anna e o Beijo Francês foi o livro que li para o I DARE YOU - Desafio Literário 2015 e confesso ter me encantado desde o inicio da leitura. Em novembro de 2014 eu havia começado a ler o livro, mas com todas as tarefas que eu precisava cumprir acabei tendo que deixa-lo para ser lido em outro momento, e o momento que eu escolhi foi maravilhoso, pois a leitura fluiu muito bem e eu tive a oportunidade de experimentar as inúmeras sensações que está leitura me remeteu. Tive ódio de alguns personagens, amei demais outros, tive raiva e ao mesmo tempo vontade de levar vários personagens no colo para casa e por fim bateu uma nostalgia enorme da época de escola. Não que eu tivesse vontade de voltar para aquela época, mas que bateu saudade bateu.



O livro em questão vai narrar a estória da Anna, que em seu último ano no colegial é mandada por seu pai, um escritor de Sick-list que se acha o bam bam bam e na verdade seus livros só fazem sucesso por um período bem curto de tempo, mas mesmo assim ele resolve dar um de rico e mandar a filha para um internato americano caríssimo que fica na França. Separando a filha de seus amigos e familiares, sem nem mesmo perguntar se era isso mesmo que ela queria. 

" Quem manda os filhos para um internato? É tão Hogwarts. Só que no meu não tem feiticeiros bonitinhos, balinhas mágicas ou aulas de voo." 

Já no internato Anna conhece pessoas muito legais e outras nem tanto, afinal nada é perfeito, não é mesmo? Seus futuros amigos e vizinhos de dormitório são: Meridithi, Rashimi, Josh e St. Clair o menino mais cobiçado da escola. 



Em um primeiro momento Anna acha que estar naquele lugar não foi uma boa ideia, sente falta da mãe e do irmão e também da melhor amiga e de seu quase namorado. Mas estando a 8 horas de casa e praticamente do outro lado do mundo fica bem complicado manter algo. Mesmo assim, ela ainda consegue passar bons momentos com os amigos por telefone ou troca de e-mails. Ela estar na França foi sem dúvidas um erro enorme que seu pai a fez cometer. Como seria voltar a sua cidade natal e aos seus amigos, sem nem ter convívio suficiente com eles por mais ou menos 1 ano. Muita coisa mudaria e como mudaria, o que Anna não sabia é que iria doer ver essa mudança.

" É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar?"

Com o tempo passando e a cada dia mais perto de seus novos amigos, Anna descobriu coisas espetaculares, como por exemplo que na França há milhares de cinemas espalhados por todos os cantos e ela como uma amante incondicional das telonas, ficou maravilhada com a possibilidade de poder ver vários filmes em uma mesma semana em lugares diferentes e o melhor de tudo na sua língua, porque Francês não era o seu forte, inclusive as piores aulas eram aquelas em que o Francês predominava, que martilho. Meridithi , Rashimi, Josh e St. Clair eram seus guias oficiais e era sempre muito divertido estar com eles, principalmente com St. Clair.



St. Clair é um menino charmoso e que tem uma mistura de tudo que é perfeito em uma única pessoa, o que deixava Anna sempre muito sonhadora e ao mesmo tempo chateada afinal ele tinha a namorada perfeita. St. Clair é para Anna um irmão, um melhor amigo magnifico, nunca deixava que ela fosse zoada ou tachada por outros alunos, sempre a levava para conhecer novos lugares e era apaixonado por acompanha-la nas sessões intermináveis de filmes, quanto mais antigos melhores. St. Clair se tornou a melhor companhia e um porto seguro em um lugar onde ela era a estranha. 

" Arrisco um olhar e St. Clair me olha fixo. Profundamente. Nunca tinha olhado para mim desse jeito. Viro-me antes, e então sinto-o virar algum tempo depois.
Sei que ele está rindo, e meu coração acelera. " 

A Narrativa do livro é doce e bem leve, possui indicação de livros e filmes o que me deixou completamente encantada, amo livros que para mim mesmo simples se tornam mais amplos quando fazem referencias a outras obras sejam elas quais forem, arte, livros, filmes, monumentos enfim. Senti que no decorrer da leitura eu estava conhecendo cada pedacinho da França por onde Anna passava o que me fez gostar ainda mais de todo o livro.



Os pontos positivos da obra para mim são sem dúvidas, a riqueza de detalhes dos pontos turísticos da cidade, a abordagem da autora com relação a falta de carinho e atenção dada pelos pais de determinados alunos, pois ao longo da estória descobrimos que não só o pai da Anna a manda para a escola sem que ela queira, mas de outros diversos alunos, para que os pais possam manter a pose de mais ricos, mais poderosos e que dão a melhor educação para os filhos quando na verdade estão é privando-os do convívio em família. E por último do romance, que em nenhum momento foi forçado ou aconteceu sem mais nem menos, tudo teve um proposito e um momento, fazendo com que os personagens crescessem na estória e que tivessem a oportunidade de construir um romance "real".

" Olho para baixo e me surpreendo ao me encontrar no meio de um pequeno círculo de pedra. No centro, diretamente entre meus pés, há um octógono de cobre-bronze com uma estrela. Palavras estão gravadas na pedra ao redor deste: Poin zero des routes de France.

Eu recomendo a leitura e quero deixar claro que o livro é bem juvenil, se passa dentro de uma escola onde os alunos estão terminando o ensino médio e estão pensando em qual curso superior fazer, etc. Então pode ser que se você não curti livros que tenham intrigas, coisas bobas, amizades verdadeiras e de certa forma uma leitura com altos e baixos necessários para o desenrolar da estória este não seja um livro para você. Pense bem antes de lê-lo para não se decepcionar, pois aqui temos um livro incrível que precisa ser apreciado no momento certo e sem preconceitos de idade e/ou época.




Então é isso pessoal, espero que tenham gostado
e que muitos de vocês possam ler, 
beijos da Lêeh até a próxima. 



4 comentários:

  1. Quero ler esse livro desde que ele foi lançado, mas me faltam dilmas para adquiri-lo. Sou apaixonada pela França, sua língua, cultura, culinária e tudo o mais, então já é um ponto a favor do livro. Adoro livros juvenis. Não tenho mais "idade pra eles", mas sempre consigo tirar reflexões maravilhosas dessas obras.
    Beijos no coração

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha e a indicação...
    Apesar de mais juvenil, me pareceu uma história doce e envolvente!
    Bjos, Helena

    http://doslivrosumpouco.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. GENTEEEE, já li umas três resenhas sobre esse livro e a cada resenha fico louca pra comprar e ler, sério!!!

    Só o fato nostalgia dos tempos de escola já ganha pontos comigo, porque eu adoro relembrar as coisas boas que vivi naquela época.
    ê tempo bom, rs

    Um beijo,
    www.sabrinadamasco.com

    ResponderExcluir
  4. Apesar de ser bem juvenil, amo esse livro! Lola e o Garoto da Casa ao Lado também é um amor! Beijos, Jú
    docurailusoria.blogspot.com

    ResponderExcluir