18.11.13

[Resenha #21] O Corvo e suas Traduções - Edgar Alan Poe

Oi gente, o livro que eu vou falar é um livro que eu achei muito interessante e muito barato também, diga-se de passagem, eu comprei em uma promoção na bienal, bem baratinho e foi amor à primeira vista. A capa do livro é linda, o preço também, a diagramação muito bem estruturada e é isso.
Eu não vou colocar sinopse, vou explicar rapidamente do que se trata e minha opinião a respeito do livro. O livro tem o conto do Poe, O Corvo, traduzido diversas vezes por diversas pessoas, tem uma introdução falando o porquê desse livro e tem uma introdução minúscula, mas significativa, à vida do autor, além de ter também algumas analises do conto e o texto original e traduzido para francês.

Um pouco sobre o conto...

O conto é muito, muito, muito bom. Ele tá em formato de poema, dividido em versos e estrofes e tem uma sonoridade incrível. O conto fala sobre um homem que perdeu alguém que ele amava muito, e está sozinho debruçado sobre os livros tentando se distrair com alguma coisa, quando tarde da noite algo/alguém bate em sua porta, ele fica meio apreensivo, assustado, surpreso, tenta se convencer de que é uma visita que demorou a chegar e vai abrir a porta, não encontra nada. As batidas continuam ele começa a desconfiar que pode ser na janela e abre a janela, entra um corvo, não um corvo comum mas um corvo enlouquecedoramente ereto, pomposo e a partir daí que desenrola o conto. 5 estrelas.

Um pouco sobre o livro...

Eu não tenho a minima intenção, por enquanto, de ser tradutora mas o livro não é chato, não fica chato em momento algum, apesar de ter no começo algumas análises que leigos em tradução, como eu, não irão ficar muito interessados. Com esse livro você pode perceber como o mesmo conto pode ter várias traduções de um mesmo texto, algumas vezes pode ficar mais prolixo do que outras. Uma coisa que me intrigou bastante foi que o nome da mulher amada pelo personagem que está sofrendo tem três traduções diferentes, Eleonora, Lenora e Leonora. Eu achei que a melhor tradução seria a de Machado de Assis porque eu gosto bastante dele, porém na minha humilde opinião a dele foi uma das mais fraquinhas e a que eu mais gostei e recomendo que todo mundo que deseje ler este conto leia na tradução de Gondin da Fonseca, eu achei muito boa, não ficou nem um pouco extenso e passou tudo que tinha de passar.

Então é isso gente, leiam esse livro, foi cinco estrelas pra mim, é um livro curto, mas muito instrutivo, gostei BASTANTE. Vou terminar nessa semana ainda o livro "A Outra Volta do Parafuso" ou "A Volta do Parafuso" (é o mesmo livro) e farei resenha aqui pro blog, em breve.

Beijos da Maria :*



2 comentários:

  1. Interessantíssimo Maria, vou pesquisar e ver se o encontro em PDF, adorei a resenha e como sempre me deixou instigada. Parabéns.
    Beijos s2

    ResponderExcluir