15 de abril de 2017

{Resenha #170} Théo e a Maldição das Cores - Anaté Merger | @gabrielaofredi

Título: Théo e a Maldição das Cores
Autora: Anaté Merger
Ano: 2016
Número de páginas: 258



Théo é o príncipe herdeiro do reino de Dracoon e com apenas sete anos foi enviado ao reino vizinho de Azurium, e ao chegar lá sentia-se mal, excluído pela forma como era tratado pelo príncipe Agostim, que era seu mestre.
Em seu reino Théo sempre foi muito bem tratado e amados por todos, não conseguia entender de jeito nenhum porque era vítima de tanta hostilidade vinda de Agostim e dos amigos desse.
Nessa lugar fantástico em cada reino existia uma Pedra da Lei que ditava que todos os cidadãos nascidos em cada local obrigatoriamente teriam que conter as cores de seus reinos nas roupas, na pele, nos olhos e nos cabelos, e nenhuma outra ser seria aceita. Essa era a lei e de acordo com ela, aqueles que não estivessem dentro desses padrões seriam banidos do reino, para viverem de acordo com a própria sorte, mesmo sendo apenas bebês indefesos.
O que Théo não sabia, era que ele não era completamente igual a todos os outros cidadãos de Dracoon e isso incitava certa raiva e inveja no príncipe Agostim, e tudo isso acabou prejudicando muito seu desenvolvimento quanto aos atributos que um príncipe deveria ter.
Quando completou 10 anos, Théo descobriu que precisaria fazer uma viagem, uma visita até uma bruxa que até então ele pensava que só existia em uma lenda, mas para chegar até ela o mocinho precisaria aprender a lidar com seu medo, o medo da rejeição, conhecer a si mesmo e saber qual o verdadeiro tesouro que um homem pode ter.
Acima de tudo nosso querido Théo necessitava aprender a conviver com as diferenças e ensinar ao príncipe Agostim e todos os outros a fazer o mesmo.

Primeiro de tudo preciso falar que o livro me surpreendeu muito, foi completamente diferente do que eu imaginava.
A queriaa autora Anaté Merger soube trabalhar perfeitamente com todos elementos envolvidos na história, tudo é de um encantamento tal que o leitor simplesmente não consegue desgrudar do livro até que tenha chegado ao fim.
A leitura é bem simples e leve, o que é muito apropriado, considerando que o livro é infanto-juvenil, logo o público alvo é um pouco mais novo que o habitual aos livros da mesma autora.

O que mais me fascinou foi a sabedoria que ele teve ao abordar o preconceito racial, afinal o livro todo é baseado no fato de que em cada reino as pessoas não aceitavam pessoas que eram diferentes. E aí todos devem pensar "Ah, mas é por causa da Pedra da Lei!", não meus amigos. Tem algo a mais na história que não coloquei na sinopse pois não quero dar spoiler, que explica exatamente o motivo que levou a criação da Pedra da Lei.
Na minha concepção Théo e a Maldição das Cores pode ajudar e muito a essa nova geração a crescer sem preconceito com o amiguinho que é diferente. E não estou falando somente da cor da pele.
Avalio o tempo que passei lendo essa história como um investimento descomunal para o meu intelecto.
Leiam!!!

Nota: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário