8.4.17

{Resenha #168} Marcas na Inocência - Lu Muniz | @gabrielaofredi

Título: Marcas na Inocência (Duologia Doce Inocência Vol. 2)
Autor(a): Lu Muniz
Editora: Amazon
Ano: 2016
Número de páginas: 298

Sinopse: (Enviada pela própria autora)
EM TODA HISTÓRIA, SEMPRE EXISTEM DOIS LADOS. 
'Marcas na Inocência' promete dar ao leitor todas as respostas para a lacuna temporal deixada de forma proposital no primeiro volume da duologia 'Doce Inocência'. 
Cada qual com suas razões, o casal principal vai levar o leitor a duvidar da sua própria capacidade de se posicionar diante dos seus conflitos e de defender qualquer um dos lados. 
Francine precisa amadurecer rapidamente, substituindo a imaturidade por comportamentos que a farão crescer como pessoa. Por outro lado, Ivan luta para livrar-se dos fantasmas do seu passado e recuperar sentimentos de confiança e de perdão.
Com protagonistas que fogem dos padrões idealizados dos romances, Lu Muniz aposta em personagens extremamente humanos e, portanto, carregados de fraquezas, falhas e imperfeições. E é o leitor quem vai partilhando dos seus pensamentos e acompanhando seu amadurecimento durante o desenrolar da história.
Tanto os personagens principais quanto os secundários seguem suas trajetórias, cheias de altos e baixos, e em busca de respostas para seus traumas e dramas pessoais. Será que todos estarão dispostos a assumir as consequências dos seus atos?


Em Doce Inocência, Lu Muniz arranca o coração do leitor do peito e o deixa suspenso no ar, exposto para qualquer um ver o que estamos sentindo ao ler a história. Já em Marcas na Inocência, a autora faz questão de esmigalhá-lo em um trilhão de pedacinhos para ver se um coração em pedaços tem mesmo a capacidade de voltar a bater. Mas o coração do leitor é tão forte, teimoso e torce tanto pela história de amor dos protagonistas que ele volta a vida.

 

Depois de 6 meses de uma intensa espera, enfim, a querida Lu Muniz lançou o segundo volume da Duologia Doce Inocência e, é claro, que eu, louca de ansiedade, não consegui esperar nem um dia sequer para começar a leitura rsrs. Também preciso deixar bem claro que gostaria muito de fazer uma resenha enorme, explicando o que senti e o que achei sobre cada capítulo, mas sei que se fizer isso darei muito spoiller e vocês me matarão. Então ela será mais curta do que eu desejava.
Em Marcas na Inocência, que é o título da continuação, o leitor já começa o livro com uma situação muito tensa, na qual a autora coloca à prova a capacidade do Ivan e da Francine de perdoar um ao outro. O livro tem seu início na cena final do primeiro volume e, preciso falar, que é angustiante ver a reação dos dois. Uma vez que eu, uma romântica incorrigível, ficava rezando para que eles esquecessem tudo e voltassem a ficar juntos, mas aqueles dois teimosos e orgulhosos não pensavam bem assim.
O fato do perdão ter vindo a jegue foi muito importante, pois o tempo que ambos demoraram para pensar e repensar em suas atitudes, foi crucial para que amadurecessem e passassem a enxergar o amor que sentiam um pelo outro de uma maneira diferente. Os fez perceber o quão importante é o diálogo e, principalmente, a confiança que precisavam ter em si mesmos, no parceiro e também no sentimento que os unia. Um ponto que eu achei muito bonito, que pela minha interpretação, a autora deu a entender que o perdão pode salvar vidas e que ele irá acontecer no momento certo.
Acredito que, mais que no primeiro livro, Francine é literalmente obrigada a crescer e deixar seu mundinho de princesa para trás, já que, agora, existia Helena, um outro ser, completamente indefeso, que precisava demais dela. Ainda mais depois que ela decidiu levar a vida sozinha
Acho que nem preciso explicar muito porque sou apaixonada pela Helena, não é? (bebês são o meu fraco rs).
Além de explorar um pouco a narrativa dos capítulos pela visão do Ivan, a Lu, também incluiu o fofo do Alex (irmão da Fran) como narrador em alguns capítulos. O que só me deixou mais curiosa em relação a ele e ao relacionamento dele com a Ju. E Lu, POR FAVOR, escreva logo um livro contando a história desse lindo! Fiquei muito surpresa por conhecer um pouco da personalidade dele, de ver o modo como ele zela pela irmã e por ter aceitado tão bem o relacionamento dela com o Ivan, que também é como um irmão para ele. Gostei de ver que por trás do médico competente e sério existe um cara correto, de caráter e que apesar de estar completamente apaixonado, se mostrou maduro o suficiente para colocar a felicidade da Ju acima da sua, afinal, isso é que é amar de verdade. Realmente acho que o Alex merece uma atenção muito especial.
Porém, não é só sobre romance que esse livro fala. Minha querida amiga (que foi o que a Lu se tornou graças a DI) também aproveitou seu livro para fazer um alerta e ajudar as mulheres a terem mais coragem de denunciar a violência que podem vir a sofrer, ou podem já ter sofrido, na vida. Como não amar esse serumaninho?
Durante toda a leitura o sentimento do leitor que mais é colocado à prova é a esperança, afinal, é impossível parar de torcer para que tudo dê certo, porque não temos descanso do início ao fim. Como pedia, Marcas na Inocência, exige uma carga emocional muito maior e mais significativa, uma vez que não se trata mais de conquistar um amor que parece impossível, mas de perdoar erros do passado e de reconquistar confiança. E vocês sabem o quão difícil é reconquistar a confiança de alguém, não é mesmo? É quase impossível, mas prestem bem atenção. Eu falei que é QUASE impossível, ou seja, sempre se tem a chance de acertar.
Também preciso falar da escrita maravilhosa da autora. Como falei na resenha em vídeo que fiz de DI (quem quiser assistir basta clicar aqui), a Lu tem a capacidade de mais que escrever, desenhar a história de uma forma tão perfeita, que se torna impossível não se sentir envolvido em todos os acontecimentos escritos. Além de ter uma escrita muito leve e fluída, personagens que vão do divertido ao polêmico, e situações de tirarem o fôlego e te levar as lágrimas (imagem só minha situação quando decidi ler MI no trem! kkk), a diagramação é ótima. Sem contar no fato de que a autora, também é formada em Letras e um pouco (muito) perfeccionista, ou seja, pensa num livro com pouquíssimos erros de edição. É só amor!!
E antes que eu me esqueça, preciso fazer um agradecimento a essa pessoa linda que é a Lu Muniz. Muito obrigada pela confiança ao me aceitar como parceira, muito obrigada por esse livro maravilhoso, por esses personagens apaixonantes e pela oportunidade de ser sua amiga. Você é uma pessoa linda, com um ótimo coração e que ilumina a vida de todos ao seu redor. Você merece todo o reconhecimento que está tendo e que terá pelos seus livros, porque dá para perceber o carinho, dedicação e amor que você deu pela história, em cada palavra escrita naquelas páginas. Continue sempre sendo essa pessoa maravilhosa, porque eu tenho fé que esse é só o primeiro passo para que o mundo te reconheça como a ótima autora que é.

Marcas na Inocência, com certeza, entrou no topo da lista dos livros favoritos e logo será relido.

OBS: Chorei horrores quando vi meu nome nos agradecimentos!


Ficou curioso e quer ler? É só clicar no botão "comprar" lá em cima e aproveitar.
Por enquanto o livro só é vendido em formato digital pela Amazon. Se você tem o aparelho Kindle e é assinante do plano Kindle Unlimited, pode fazer a leitura por lá mesmo. Caso não seja assinante e não tenha o aparelho, mas tenha o app do Kindle no celular, tablet ou computador, basta clicar no botão "comprar" e ser feliz.

Ass.:

Nenhum comentário:

Postar um comentário