10.11.14

[ Texto ] Desabafo


Oi pessoal, bom dia ! 

Eu sei que segundas são dias bem desanimados e que este texto não ajuda muito. Mas eu precisava escrever alguma coisa, qualquer coisa. Para que vocês entendessem um pouco do que está se passando do outro lado da tela do seu computador, com a pessoal que está a escrever este texto. 

Bom para inicio de conversa se você é novo por aqui eu me chamo Leticia e tenho 21 anos, e faltam exatamente 50 dias para eu me formar e ser oficialmente licenciada em Matemática. Não tenho ideia se este é um dos motivos do porque quis escrever este texto, mas tenho certeza que é um dos pontos. 

Talvez não esteja entendendo nada , por isso vou explicar. Primeiramente este texto é um desabafo, então se você passou aqui no blog, querendo ler uma resenha ou para conhecer eu indico outro post e a página de resenhas onde você poderá encontrar as resenhas já feitas em ordem alfabética. Se você ficou curioso e quer ler o texto, muito obrigada, pois eu realmente preciso demais de alguém que ao menos saiba o meu momento. 

Para começar preciso que saibam que >> Baixa autoestima é caracterizada por uma percepção negativa de si mesmo. Pode ser expressa por crenças como: eu sou um fracasso? ; eu não sirvo para nada? ou por uma sensação de incapacidade ou menos valia que é muito difícil de a pessoa conseguir traduzir para si e para os outros.

Eu sempre me achei uma pessoa muito forte, passei por decepções que jamais irei esquecer e que vire e mexe me atormentam. Não sei se aprendi algo bom ou ruim com isso, só consigo dizer que depois de muitos tapas na cara, resolvi ficar mais comigo mesma. E durante anos eu não tive nenhum problema com esse fato. Mas desde final de setembro que sofro do mal da solidão. 

Ao mesmo tempo que sei que não estou sozinha, eu me sinto sozinha. Porque para mim é difícil aceitar que talvez eu precise procurar as pessoas e não ao contrário. Com isto, eu acabo optando por ser sozinha. Diariamente sinto falta de alguém para conversar e rir, mas quando estou com pessoas que me proporcionam isso sinto medo de algo sair errado e eu surtar. 

Quando acordo e olho para o lado a primeira coisa que eu faço e pegar o celular e conferir as mensagens e mesmo encontrando o bom dia do meu namorado, eu fico esperando um mais que não tem, nunca tem. Passo o dia no Facebook e posso contar nos dedos de uma unica mão a quantidade de pessoas com quem converso. No mais geralmente nem preciso contar nada. 

E a hora de ir para a faculdade é sempre a pior do dia, me arrasto até o banho e faço o mesmo até chegar na sala. Faço de tudo para parecer simpática e feliz, mas não é nem de longe verdade. Amo matemática e sempre vou amar, porém não tenho paciência, vontade nem animo para conviver com as pessoas. Não que elas sejam chatas ou algo parecido, só não são parte do meu mundo. Se tem algo que aprendi e faz muito tempo é que eu sou diferente e o diferente causa estranhamento. 

O mais difícil de ser assim ou estar assim tanto faz é o fato de pessoas próximas falarem com você te darem concelhos e você não conseguir segui-los pelo simples fato de que cada ser é um ser e só a própria pessoa sabe o que está passando e só ela pode superar, conselhos são ótimos, mas ninguém está a sua disposição quando você precisa. Criticas o mundo joga na sua cara o tempo todo, carinho, compreensão, amizade, companheirismo todo mundo quer, ninguém se dispõe a dar. 

Me recordo que a alguns anos quebrei o pé e acho que Deus estava planejando isso para mim, eu era uma pessoa "feliz", tinha tudo que queria, saia todo final de semana, estudava, tinha zilhões de amigos e minha vida era perfeita. Quebrei o pé e fiquei exatamente 4 semanas com o gesso até o joelho para não tentar andar e piorar as coisas e acreditem meu gesso ficou branquinho, bem como saiu do hospital. Nenhum dos meus amados amigos foi capaz de me visitar, tomei vergonha na cara e me afastei aos poucos. 

" Livrai-nos de todo o mal , amém " 

Sei que eu sou uma pessoa difícil de lidar e bem metódica, mas sinto falta de amigos de verdade. Aqueles que se preocupam em te ligar para saber se você está bem ou precisando de alguma coisa. Aqueles que mesmo longe te mandam mensagem pelo facebook para perguntar coisas bobas que te deixam mais animada. Enfim, amigos. 

Em outubro eu comecei a escrever minha monografia e sofri demais, além da conta. Meu tema é complicado e eu não sentia vontade de escrever, na verdade não tinha vontade nem de sair da cama. Meu corpo doía a todo momento, tudo me irritava e me incomodava. Fora o fato de ter que faltar várias aulas para conseguir ler os muitos livros e escrever o pouco que fosse todos os dias. 

Outubro sem dúvidas foi o pior mês de 2014 até o momento, tive diversas crises de choro, minha autoestima estava abaixo de zero, e eu realmente estava su9rtando. A coisa estava tão feia que eu passei a ter medo de andar na rua. Depois de brigar feio algumas vezes com meu namorado e ouvir ele me falar coisas para eu enxergar o que estava acontecendo, resolvi tentar mudar. 

Acordei cedo por diversas vezes, esqueci o blog e as redes sociais para estudar, e li alguns livros de autoajuda ( muita gente não gosta, eu sei, mas eu não queria ir ao médico e viver dopada, como uma pessoa doente. Eu precisava acordar para a vida e não dormir. ) Outubro passou e novembro começou com uma semana sem internet. Minha única amiga. 

As coisas aparentemente estão bem melhores, mas minha vontade de mudança é tão grande, mais tão grande que tudo está dando errado. Não tenho vontade de escrever no blog; não sei o que fazer para terminar a minha monografia; estou sendo bipolar com meu namorado; meu quarto já não é um lugar onde me sinto bem; queria uma cara nova e estraguei meu cabelo; estou impaciente; angustiada ; fico chateada com tudo; 

Eu fico me perguntando, se com a faculdade que é algo que ocupa o meu tempo, pois tenho que estudar, fazer trabalhos, assistir as aulas etc, já está difícil. Imagina sem ! Sinceramente, eu já perdi meu rumo faz tempo e queria de verdade encontra-lo, porque 2015 está logo ai e eu gostaria demais que ele fosse diferente. Estou cansada de sofrer tanto por águas passadas, quanto por tentar incessantemente  ser eu mesma e fazer com que as pessoas aceitem isso. 

Não sei quando irei escrever aqui novamente, estou realmente precisando encontrar meu ponto de partida novamente. Sabe apagar tudo e começar do zero. Quero tentar não me lamentar, e como diz meu namorado " Stay Strong", eu quero e quero muito ficar forte, ser forte. Eu preciso, porque se não eu mesma vou me destruir e isso eu não quero que aconteça. 

Peço desculpas pelo enorme texto e se você o leu até o final ( eu sei que ficou um pouco confuso, mas espero que tenha dado para entender), aproveita e deixa sua opinião a respeito, estou precisando, nem que seja ler algo ... só preciso saber que alguém sabe o que eu sinto. Por enquanto eu vou continuar aqui, no meu canto. Tentando descobrir a melhor maneira de sair deste estado, sem magoar a mim e a outras pessoas. 

" Viver não é apenas mudar, é continuar."

Beijos da Lêeh


5 comentários:

  1. São duas da manhã e pelo que muitos chamariam de "coincidência" eu acabei encontrando esse post. E eu sou uma pessoa um tanto curiosa, então precisei ir até o fim pra conseguir entender. Não posso dizer se já passei por isso, ao menos nesse nível, não. Mas você se sente como se não tivesse objetivos? Como se a vida tivesse se tornado algo chato, um completo preto, ou um completo branco, ou pior, um completo cinza? Tudo apagado? E você quer acordar, sorrir e ter um motivo pra continuar de pé, mas você não acha e não consegue?

    Bom, eu não sei se você acredita em Deus , mas seu texto me deu o entendimento de que sim, de que acredita. Posso não ter vivido tanto tempo assim, ainda não conclui o ensino médio, mas talvez, nem que seja um pouco, eu consigo te entender. E talvez, e só talvez, eu possa te mostrar uma solução. Eu não sei exatamente o que é, mas estou apenas aqui, pensando e divagando...

    Só... Não desista. Temos dias bons, e temos dias ruins. Precisamos passar pelos dias ruins, para que não fiquemos estacionados la. E precisamos nos apegar aos dias bons. Uma lembrança alegre, qualquer uma, por mais insignificante que seja, pode nos ajudar a passar por esses dias ruins, que parecem intermináveis.

    Acima de tudo, tenha Deus. Desde que eu passei a estudar a bíblia a fundo, eu passei a enxergar o mundo de uma forma diferente, e me sinto bem. Se comparar o meu 'eu' do ano passado com o 'eu' desse ano, especificamente nesses últimos meses, muitos notam una diferença absurda. É Deus acima de tudo.

    Espero , sinceramente, que melhore. É horrível ficar nessa situação... Fique com Deus Lee, e não desista.

    ResponderExcluir
  2. Caramba Letícia, acho que você escreveu tudo que eu ando sentindo. Sinceramente, é exatamente isso que está acontecendo comigo, as vezes acho que estou desenvolvendo depressão e as vezes acho que o que eu realmente preciso é levantar e continuar, mas sempre que tento no final do dia estou aos pedaços e desconto na comida, este ano engordei mais de 30 quilos em função de decepções que estou vivendo com os outros e comigo mesmo. Apesar de ter amigos pra sair, de ter colegas na faculdade, também me sinto sozinho, me diferente e solitário. Meus pais infelizmente não me entendem e eu não os culpo, afinal nem eu estou me entendendo mais.
    Não sei mais o que quero ser porque me perdi dentro de mim mesmo. Também estou com crises até pra sair de casa.

    Enfim, contei um pouco do que estou sentindo porque me identifiquei muito com teu texto desabafo, saiba que você não está sozinha, mas saiba também que tudo vai depender de nós, e isso eu estou aprendendo da pior maneira possível.
    Espero que você fique bem, beijos. Alef Bass.

    ResponderExcluir
  3. Leeh eu li o post todo e fiquei preocupada... Como você disse conselhos todo mundo dá.
    E uma coisa eu te digo, Amigos você conta no dedo, e não são fáceis de achar.
    Eu também estou terminando a facu agr, e fica aquela coisa de "e agora?"
    Vou resumir.
    Leeh o mundo é ENOOORME, cheio de pessoas diferentes, culturas diferentes, talvez ai na sua cidade, não tenha pessoas parecidas com você...
    Minha pergunta é você já pensou em dar uma viajada por ae? Sei lá, fazer um mochilão, conhecer gente nova, novos modos de se viver...
    Isso com certeza, além de te animar, irá te proporcionar uma experiencia ótima.
    Mas como o pessoal disse nos coments acima, só depende de você!

    ResponderExcluir
  4. Letícia, passei por um grande desanimo ultimamente também e sei bem como não é fácil... Não temos vontade de fazer nada e parece que nada conspira a nosso favor... Não vou te dar conselhos ou algo parecido, pois como você mesma disse, as pessoas são diferentes e cada uma reage de forma diferente... Mas é nessa hora que bate a vontade de desistir de tudo que devemos ser fortes... São horas como essas que precisamos dos amigos, e também são nessas horas que percebemos que não podemos contar com ninguém que não seja nós mesmos... Podemos ter ao lado a melhor pessoa possível, mas ainda assim as pessoas são egoístas e pensam no melhor pra elas... Acho que esse seu desanimo todo é fruto de estresse, seja com o fim do curso ou por qualquer outro motivo, então só o que posso dizer é tentar relaxar, liberar a cabeça, encontrar algo que seja a sua válvula de escape... Se jogue nisso, sem peso na consciência de que você deveria estar fazendo outra coisa, pois esse é o melhor caminho pra melhorar... Não sou uma leitora assídua do blog, nem alguma amiga sua, sou apenas uma pessoa tentando ajudar, pois sei bem como é esse momento... Espero realmente que você possa ficar bem...
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. quero que saiba que seja apenas forte....
    nao te conheço mas sei da tua dor.

    ResponderExcluir